Minha paixão pela língua portuguesa – Nosso Idioma

November 21, 2014

Adoro Português! Sempre foi a minha disciplina favorita, desde criança. E era também professora de português que eu sonhava ser, tão logo me formasse.

Por um descuido do destino, porém, me formei em Pedagogia, em vez de Letras, mas nunca abandonei o sonho de ensinar essa disciplina. Finalmente, depois de alguns anos, a oportunidade surgiu pra mim como um presente: fui convidada por uma amiga minha que agora era diretora de uma escola, para ensinar português, em substituição a uma professora que havia entrado de licença maternidade.

Nem pensei duas vezes. Abandonei as antigas disciplinas que eu lecionava na Escola Normal e passei a me dedicar inteiramente à Língua Portuguesa. No entanto, como eu não tinha formação nessa área, tive que ampliar meus conhecimentos por mim mesma. Estudava o assunto, antes de ir para a sala de aula e, na hora da aula, tentava ensinar aos alunos da mesma forma como eu tinha ‘entendido’ o assunto. O resultado disso é que acabei desenvolvendo uma metodologia inovadora…

Passei a escrever peças de teatro sobre os principais temas da gramática (Morfologia-Análise Sintática-Fonética-Figuras de Linguagem-Verbos), usando como personagens os próprios termos da gramática e convidei meus alunos para encenarem. Através dessas histórias superengraçadas, os alunos iam aprendendo diversos conceitos gramaticais e assimilando o que antes lhes parecia complicado e antipático.

O sucesso com essas peças foi tamanho que resolvi transformá-las em livros paradidáticos de Português e adotá-los nas principais escolas.
Um deles chama-se “Rasgando o Verbo” e aborda a conjugação dos verbos. Os personagens são tempos verbais que falam de acordo com sua própria conjugação.

O livro conta a história dos descendentes do Sr. Indicativo e da D. Subjuntivo que vivem felizes, cada qual no seu tempo e a seu modo, com exceção da D. Locução Verbal, que parece muito preocupada com o seu filho mais novo, o Pretérito Mais-Que-Perfeito. Fanático por karatê, ele insiste em usar uma desinência muito perigosa, que vem causando muitos prejuízos à sua mãe. Tentando resolver o problema, o Futuro do Subjuntivo, seu filho mais novo que sonha em ser estilista, oferece-se para criar uma nova desinência para seu irmão. Nesse exato momento, ele recebe um telefonema que promete mudar sua vida: seus desenhos foram aprovados, mas para que ele ingresse no mundo da moda, vai ter que organizar um grande desfile, mostrando toda a sua coleção.
O segundo livro chama-se “A Conquista da Oração” e aborda a análise sintática. Os personagens são os termos da oração que, através de diálogos bem construídos, vão mostrando qual a função que exercem e como se relacionam com os outros termos da oração.

O livro conta a história de dois irmãos fazendeiros, o Sujeito e o Predicado, que resolvem fazer uma aposta para saber quem é o verdadeiro dono da oração (fazenda). Depois que o Predicado vence a aposta, ele propõe a seu irmão que continue morando na mesma fazenda, já que a terra dá para os dois. Mas tudo começa a mudar, quando os parentes começam a chegar, querendo também um pedacinho daquela oração.
Como podem ver, é tão estreita a minha relação com a língua portuguesa que acabei transformando os velhos conceitos gramaticais em uma nova maneira de ensinar, muito mais concreta e divertida.

 

* Sergipana de Aracaju, Lilian Rocha é pedagoga e autora de vários projetos educativos, peças teatrais e roteiros para TV.

Please reload

Featured Posts

Ruth Broad Elementary School, em Bay Harbor Islands, tem after school program em português – Nosso Idioma

September 24, 2015

1/6
Please reload

Recent Posts

December 30, 2015

December 17, 2015