O Português Brasileiro em evidência – Nosso Idioma

Como Sociolinguista que sou, admiradora declarada de todas as obras do nosso querido William Labov, professor na Universidade da Pennsylvania, tenho proposto a mim mesma o grande desafio de divulgar as ideias labovianas que revolucionaram o ensino de Língua Portuguesa no Brasil.

Desde 1968, com o lançamento da primeira obra sociolinguística de Labov (Empirical Foundations for a Theory of Language Change) em conjunto com Heirech e Herzog, que os linguistas brasileiros têm feito pesquisas, participado de seminários, congressos, dado e recebido cursos sobre a necessidade do respeito às diferenças linguísticas, culturais, e principalmente, pessoais. Isto porque, o ensino de Língua Portuguesa era extremamente normativo, voltado para a padronização. No contexto atual, devido às contribuições das teorias de Labov, o ensino-aprendizagem tem-se pautado em trabalhos que valorizam a heterogeneidade linguística e a diversidade cultural, possibilitando cada vez mais o encontro com a identidade cultural, social e pessoal.

Com o Brasil em evidência no mundo (por várias razões políticas, sociais, econômicas e culturais) há mais interesse em conhecer nossa cultura. Uma particularidade dela e mais especificamente da língua portuguesa variante brasileira é sua origem diversa que resulta em diferentes dialetos e registros. Uma riqueza que consequentemente exige de seus usuários (linguísticos) e portadores (culturais) uma característica: que saibam conviver com a multiculturalidade.

Daí a grande relevância da sociolinguística laboviana no Brasil, visto que favorece o entendimento de que existem falas regionais; de que um mesmo indivíduo precisa saber adequar suas expressões linguísticas (palavras, gestos, entonação, etc.) de acordo com quem/quando/onde/por que/para que/ etc.; e que isto chama-se respeito. Respeito às diferenças; desde às próprias, até as do outro com quem interagimos (ou buscamos interagir).

O Português Brasileiro, portanto, só de ser denominado assim, já é uma evidência de respeito próprio, como língua e como filho herdeiro de Portugal, e é evidência também da identidade de uma nação, daí a existência do nome da língua originária: Português, e do resultado: Brasileiro. Particularmente, gosto muito dessa origem e desse resultado.

Em se tratando de diferenças linguísticas, nem me refiro a dialetos. Se levarmos em consideração o fator social ‘faixa etária’, já na própria família vemos a necessidade de conseguirmos lidar com as gírias dos jovens (filhos), com o jargão profissional do pai ou da mãe, isto sem falarmos no uso das expressões dos avós.

Vejo que é uma necessidade e ao mesmo tempo um direito de todo ser humano poder ampliar sua compreensão do mundo que o cerca, apropriando-se desses conhecimentos sociolinguísticos para cultivar o respeito linguístico. E falar, ouvir, ler, escrever o Português Brasileiro favorece isso.

 

• Para saber mais sobre William Labov visite:

http://www.ling.upenn.edu/~wlabov/WLVITA.pdf

Please reload

Featured Posts

Ruth Broad Elementary School, em Bay Harbor Islands, tem after school program em português – Nosso Idioma

September 24, 2015

1/6
Please reload

Recent Posts

December 30, 2015

December 17, 2015

Please reload

Archive
Please reload

Search By Tags

I'm busy working on my blog posts. Watch this space!

Please reload

Follow Us
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square